Parte de quem eu sou

Ciao,

Seguindo a vibe do último post falando sobre o uso do colete, segue as fotos com esse vestido que mostra o colete. Já tive vergonha sim de deixar ele aparecendo, mas com o tempo fui amadurecendo e percebi que esse era um peso que não precisava mais carregar e a partir do momento que eu assumi que TINHA ESCOLIOSE, QUE EU USAVA UM COLETE e isso não me fazia diferente de ninguém, tudo ficou bem mais leve e mais fácil de lidar!

Vestidito que por ser bem aberto nas costas, ajuda a amenizar o calor nesse verão!

Espero que gostem 🙂

Com amor,

Tetê

 

Convivendo com escoliose

Ciao,

Tenho recebido algumas mensagens perguntando a respeito de como lido com a escoliose, que tratamento eu faço, exercícios e o porquê de eu ainda usar o colete. Bom vamos começar pelo tratamento. Faço exercícios do método  SEAS, através do Instituto Projeto Escoliose Brasil, do Rio De Janeiro. Já fiz um post falando sobre o método, é só clicar aqui. Vou a cada 6 meses para o Rio reformular a série de exercícios, baseado em como minha curvatura e meu corpo reagiram aos exercícios anteriores. Faço esses exercícios diariamente, em casa, e não levam mais que 45 min. Como já conheço muito bem meu corpo e a minha escoliose, consigo nitidamente perceber o quanto essa prática me ajuda, não só em relação à curvatura em si, mas também em relação ao equilíbrio, simetria, consciência postural, corporal e mental. Isso tudo devo aos anjos Patricia Mentges, Alessandra Amorim e Hector Catalán , do Projeto Escoliose, que zelam por essas curvinhas como se fossem deles hahah.

Quanto às outras atividades físicas, pratico natação e Tai Chi Chuan. A natação me auxilia muito na questão da melhora da minha respiração e da resistência corporal. Quanto ao Tai Chi Chuan, procuro estar sempre em autocorreção postural enquanto realizo os movimentos da forma. Além disso, o Tai Chi tem uma filosofia na qual nada deve ser exagerado, tudo ao seu limite, uma parte do corpo ajudando a outra, algo extremamente importante e que sigo também nos exercícios do método SEAS. A natação e o Tai Chi, muito mais que me ajudarem fisicamente, fazem um bem gigantesco para a minha mente, é como uma terapia!

Enfim, ter escoliose pra mim, é um aprendizado diário. Tudo que acontece na nossa vida é por uma razão, nada é gratuito, e acredito que o fato de eu ter essas curvinhas também não. Por isso que agradeço sempre, por todo aprendizado, amadurecimento e conhecimento.. experiências essas que certamente teriam ocorrido de maneira totalmente diferente se eu não tivesse escoliose. Temos a tendência de tentar achar resposta pra tudo que acontece na nossa vida, temos a mania de pensar demais.. sabe, não precisamos disso! A partir do momento que começarmos a levar a vida com leveza, aceitando os desafios que se apresentam com a certeza que JÁ DEU TUDO CERTO, seguindo o fluxo, e acima de tudo, fazendo o bem, ouvindo seu coração e agindo com amor, tudo que tiver que acontecer, acontecerá no momento certo, na hora que estivermos preparados. Depois que encarei toda a situação dessa forma, não só quanto à escoliose, tudo ficou bem mais fácil.

Quanto ao uso do colete… bom, merece uma postagem a parte, a minha relação com ele é algo que quando começo pensar, da vontade de chorar {de alegria claro}! Eu nunca imaginei que estaria há sete anos fazendo uso dele, e eu nunca imaginei também que poderia transformá-lo em algo tão natural no meu dia-a-dia!! Aguardem que logo logo tem textão sobre hehe!

Estou sempre aberta para qualquer dúvida e para ajudar no que eu puder!!

Com amor,

Tete

Participação no programa Super Bonita – GNT

Ciao,
Como eu já divulguei no meu Instagram e na página do facebook, fiz uma entrevista para o programa superbonita do canal gnt, com a musa master Karol Conka!
O tema do episódio era postura, e além desse assunto e sobre a minha experiência com escoliose abordamos vários outros, como beleza, bem estar, dicas e também fiz junto com o grupo de tai chi do qual participo alguns movimentos que praticamos em aula! Foi muito especial ter essa oportunidade e receber o feedback positivo e cheio de amor das pessoas que assistiram o programa! Sem dúvidas um dos dias mais felizes da minha vida ❤️
Um presente poder participar de um programa tão lindo, que respeita e apoia a diversidade. O episódio está disponível no gnt play!

Segue algumas fotos tiradas da televisão {por isso a definição ruim hehe}!

E que venham outras oportunidades para colocar em foco um assunto tão nobre: ESCOLIOSE e tudo que ela envolve, física e psicologicamente 💖

Com amor,

Tete

 

V Encontro Da Escoliose

Ciao,

Sábado passado {dia 24} foi o dia Internacional de Conscientização da Escoliose e foi também o dia do V Encontro da Escoliose no Rio de Janeiro. Foi incrível e emocionante como sempre. O evento contou com as palavras do Dr. Leonardo Grandi {médico fisiatra} falando sobre pesquisas a respeito do uso do colete, Dr. Messias Fernandes de Oliveira {psicólogo} falando sobre psicologia no manejo de problemas e também o Dr. José Rocha Cunha, um grande nome da fisioterapia que falou sobre a espirometria e além disso falou uma frase que para mim foi a que marcou esse encontro: “Não devemos tratar a escoliose da pessoa, devemos tratar a pessoa com escoliose”. Existem palavras mais verdadeiras que essas?! O tratamento deve levar em conta o conjunto de fatores que estão junto com a escoliose, sendo o emocional e a história de vida de cada um, elementos que pesam muuuito na balança e fazem uma super diferença. Já a Dra. Patricia, bom, nem preciso falar que ela sempre arrasa hahah tenho muito orgulho e gratidão em fazer meu tratamento com uma pessoa tão maravilhosa quanto ela, que vem conquistando muito reconhecimento tanto nacional como internacional. Tivemos também o prazer de receber os “Sapinhos da Esperança” {sapinhos em dobradura} da Erica Felix, a pessoa com o maior coração desse mundo. Também teve sorteio de alguns presentes, entre eles, livros. O mais legal é que os sorteados não viam a capa dos livros, mas sim apenas um resumo que estava grampeado no papel que os envolviam. Uma ideia incrível do Kleber Prates que foi quem proporcionou tais livros. Eu também tive a oportunidade de participar e falei sobre como a lei de detecção precoce da escoliose, aprovada em Xanxerê, tem inspirado outras cidades e na felicidade e importância disso {❤}. Também falei sobre o projeto desenvolvido durante o mês de Junho, que foi o vídeo com várixs guerreirxs da escoliose contando um pouco da sua batalha {link do YouTube aqui}. Com a frase “Ame Suas Curvas” eu procurei mostrar que aceitando, cuidando, respeitando e amando a escoliose todo o tratamento, os momentos difíceis e as horas de tristeza ficam beeem mais leves e fáceis de serem encaradas.

Toda essa mensagem conseguiu ser transmitida através da arte super delicada e alegre desenvolvida pela minha “prirmã” e designer Bianca Vicini Bonotto. Essa arte circulou pelo Facebook de muitas pessoas como também pelos muros da Avenida Paulista e da faculdade em que estudo!

Só gratidão e alegria é o que eu posso sentir e ter por esse mês de Junho 💚

Com amor,

Tete

Polliana Liebich

Ciao,

Muito, muito, muito feliz com esse menu novo do blog. Nele eu vou colocar a experiência de várixs guerreirxs da escoliose!! Se você que está lendo gostaria de compartilhar sua história aqui ou conhece alguém que poderia, mande um e-mail para teresavicinilodi@hotmail.com que eu farei um post com todo amor! Claro, que se preferir não ser identificado não terá problema algum, o que vale é a troca de experiências e a existência de um suporte cada vez maior para todxs que tem escoliose, para que saibam que não estão sozinhxs, e que a escoliose pode ser encarada com muita tranquilidade.

Para inaugurar, começo com a história {linda} da Polliana Liebich de Dourados – MS. Ela também faz o tratamento com a Dra. Patricia e está engajada para a existência de um projeto de lei de detecção precoce da escoliose, na sua cidade, inspirado no de Xanxerê.

É tão gratificante e lindo ver essa corrente de conscientização crescendo! E mais gratificante ainda é termos a oportunidade de conhecer a história da Polli, que é essa aqui:

“No meu caso, aos 10 anos de idade, estava ajudando minha mãe em casa e levei um tombo, senti dores na lombar e me levaram a um ortopedista, e com um Raio X veio o diagnóstico da escoliose idiopática (sem causa), comum em meninas adolescentes, que foi um achado médico, porque tombos não causam escoliose… o que ocorreu nesta época é que nem meus pais, nem os professores da escola conseguiam perceber o tanto que a minha coluna era torta, então pelo tombo tive a sorte de ser diagnosticada precocemente e procurar todos os tratamentos/acompanhamentos possíveis naquela época (meados de 1995).

Em resumo, as minhas curvas na adolescência estavam entre 20 e 30 graus Cobb (medida própria da escoliose), mesmo com acompanhamento médico e uso de colete ortopédico dos 13 aos 15 anos, em 2015, aos 30 anos de idade, cheguei aos 50 graus (uma evolução de 1 grau por ano, ao passar desses 20 anos), com indicação cirúrgica (colocação de hastes e pinos, e redução de mobilidade da coluna), mas por receio de uma cirurgia tão complexa como essa, e pela ajuda da Internet encontrei no Rio de Janeiro o Projeto Escoliose Brasil, que trouxe da Itália uma abordagem de tratamento conservadora por nome SEASS, que são exercícios científicos específicos na abordagem da escoliose, iniciei em outubro/2016, e com 06 meses deste tratamento já reduzi em 5 graus cada uma das curvas, saindo do risco cirúrgico e buscando diariamente mais qualidade de vida através dessa fisioterapia especializada.”

Lindo né! Com força de vontade e fé conseguimos ir sempre muito longe!!

Estou à espera da sua experiência!

Com amor,

Tete

Presente de Natal adiantado!

Ciao,

Good news!! Ontem fui para o Rio {com a minha companheira preferida que eu amo demais, minha mamis} para consultar com a Dra. Patricia. Agora tenho uma nova série de exercícios para por em prática que vão ajudar cada vez mais a corrigir a danada da escoliose {rs}! A parte que mais me desafiou e deu um frio na barriga: vou começar a retirar o colete! {Uma mistura de medo, nostalgia, felicidade e alívio}. Passa um filme na cabeça, desde o primeiro molde, todos os medos, as adaptações a cada troca de colete e as conquistas também! Nessa primeira fase passarei de 23h diárias para 16h. Mais um desafio, pois estou usando o colete à quase 5 anos, sempre brinco que ele se tornou uma parte do meu corpo praticamente {de tão acostumada que fiquei}, mas estou super positiva e sei que tudo vai dar certo!!
Ps.: Vou postando como será essa nova fase por aqui e logo logo também farei um post especial contando um pouco sobre cada colete que eu usei!

Com amor,

Tete